COLÔMBIA

Após acordo de paz, Colômbia prepara grande plano de reforma rural

Será lançado um sistema de planejamento como parte da reforma rural integral para cumprir o acordo de paz assinado entre o Governo e as FARC

Foto: Martin St-Amant - Wikipedia

A Colômbia promete iniciar em breve diversos planos de desenvolvimento rural “desde a base”, com a participação de cerca de 14.000 comunidades locais, indicou hoje (5), em Roma, o alto-conselheiro para o Pós-conflito do país, Rafael Pardo.

No dia 17 de julho, será lançado um sistema de planejamento como parte da reforma rural integral, que procura dar cumprimento ao acordo de paz assinado entre o Governo e a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), disse o responsável em um ato da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Pardo disse que haverão mais de 5.000 reuniões comunitárias para construir, no âmbito local, planos de desenvolvimento em cerca de 170 municípios afetados pela violência e exclusão.

Também se reduzirá a carga de imposto das empresas que invistam nos lugares mais castigados e se impulsionará o cadastro das propriedades e a regularização das terras, a retirada de minas e a substituição de cultivos ilícitos, entre novas medidas para “transformar a realidade rural, que foi palco do conflito “, segundo o alto-Conselheiro.

Pardo reconheceu que os 12 milhões de colombianos que vivem o campo têm menos qualidade de vida que os das cidades, por isso defendeu que a aplicação do acordo de paz – que inclui a reforma rural – também sirva para reduzir pela metade a pobreza nas zonas rurais.

Ele ressaltou, ainda, que as contribuições dos colombianos em forma de impostos ajudarão a financiar o restante dos US$ 43 bilhões que serão investidos nos próximos 15 anos para a etapa do pós-conflito na Colômbia, um período-chave para assentar a paz depois que, na semana passada, as FARC entregaram suas 7.132 armas individuais, o que marca o fim de sua existência “como grupo armado”.

O representante da FAO na Colômbia, Rafael Zavala, acrescentou que estão acompanhando o leste do país no processo de reforma rural em âmbitos como a produção rápida de alimentos e o desenvolvimento de sistemas agroalimentares que gerem empregos rurais e melhorem a nutrição e a inclusão social.

Com relação à formalização das terras, Zavala indicou que a FAO recebeu o apoio, em forma de cooperação Sul-Sul, por parte do México e em breve também de Guatemala, Paraguai e Brasil.

Marcados com: , ,
Publicado em Economia

Twitter: efeagrobrasil