FIDA

Em visita ao Brasil, chefe do FIDA enaltece agricultura familiar e fala dos projetos no país

Atualmente, seis projetos com financiamento do FIDA beneficiam diretamente mais de 250 mil famílias no Brasil, na região do semiárido no Nordeste

Foto: Divulgação/MDA (Albino Oliveira)

“O Brasil tem muito a ensinar ao mundo sobre a importância dos agricultores familiares”, afirmou o presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), agência da Organização das Nações Unidas (ONU), Kanayo Nwanze, que chega nesta terça-feira ao país para uma visita oficial.

“O papel dos agricultores familiares na alimentação do mundo é inegável”, sublinhou Nwanze, ao destacar que “no Brasil, eles produzem até 70% dos gêneros alimentícios. O mundo tem muito a aprender sobre a forma como o Brasil apoia os agricultores familiares, fornecendo as ferramentas que eles precisam para serem bem-sucedidos”.

Visita

Kanayo Nwanze visitará duas cooperativas financiadas pelo FIDA na Bahia, a Coopercuc, em Uauá, e Cooproaf, em Manoel Vitorino. Ele também se encontrará com o governador da Bahia, Rui Costa.

Criada em 2004, Coopercuc tem mais de 200 cooperados, a maioria mulheres, e produz doces e geleias com frutas nativas do sertão. Já a Cooproaf foi criada em 2010, e também trabalha com frutas nativas, especialmente o umbu. Atualmente conta com 63 cooperados.

Brasil, maior parceiro do FIDA na América Latina

“Há mais de 30 anos, o FIDA colabora com o Brasil para reduzir a pobreza, transformar as áreas rurais e aumentar sustentavelmente a produtividade dos pequenos agricultores, sempre protegendo o meio ambiente. Trabalhamos juntos para garantir que as inovações tecnológicas desenvolvidas no país sejam compartilhadas por todo o continente e outras regiões. É uma parceria exemplar, pois temos objetivos em comum”, afirmou Nwanze.

Com uma carteira de investimento total de mais de US$ 450 milhões, as operações apoiadas pelo FIDA no Brasil são as maiores da agência na América Latina e Caribe. Dois terços desse valor, aproximadamente US$ 300 milhões, provêm de contribuições das autoridades brasileiras e beneficiários. Seis projetos com financiamento do FIDA atualmente implementados no Brasil beneficiam diretamente mais de 250 mil famílias na região do semiárido no Nordeste.

Ensinando a superar desafios

Uma das principais características dos projetos apoiados pelo FIDA no Brasil é buscar inovações técnicas e práticas agrícolas que permitam aos agricultores familiares enfrentarem os desafios apresentados pelo ambiente inóspito do semiárido do Nordeste.

Os exemplos incluem métodos de produção orgânica e agroecológica, coleta de água e tecnologias de conservação e metodologias de planejamento participativo para agregar as inovações e o conhecimento tradicional.

Expansão para outros ecossistemas

Dois novos projetos expandirão as operações financiadas pelo FIDA do sertão semiárido, onde atua já há 35 anos, à área de transição amazônica no Maranhão e à mata atlântica e ao agreste de Pernambuco.

Com os dois projetos que devem entrar em operação até o fim de 2018, o total do investimento apoiado pelo FIDA chegará a US$ 550 milhões, beneficiando mais de 300 mil famílias.

Outros projetos

O FIDA também apoia outros programas de promoção de tecnologias, boas práticas e políticas agrícolas inovadoras a favor da agricultura familiar no Brasil e em toda a América Latina.

O FIDA-Mercosul, um programa apoiado pelo FIDA, encoraja as autoridades governamentais a compartilhar políticas e práticas bem-sucedidas a favor da agricultura familiar no Mercosul, formado por Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Entre 2011 e 2015, a iniciativa Agricultural Innovation Marketplace (MKTPlace) convidou cientistas da América Latina, do Caribe e da África para trabalhar em conjunto com cientistas da Embrapa para adaptar as inovações tecnológicas agrícolas desenvolvidas no Brasil aos seus próprios países e regiões.

Nos próximos três anos, um novo programa financiado pelo FIDA, o Adaptando Conhecimento para Agricultura Sustentável e Acesso aos Mercados, permitirá a extensão e a adaptação de inovações desenvolvidas pela Embrapa a projetos financiados pelo FIDA na América Latina.

Foco na agricultura familiar

Em abril, o FIDA aprovou uma nova estratégia de país para o Brasil. Segundo essa estratégia, todas as operações financiadas pelo FIDA no Brasil se concentrarão em apoiar os agricultores familiares aumentando sua capacidade produtiva, facilitando seu aceso a serviços essenciais (capacitação, planejamento do investimento, crédito rural e apoio técnico, com atenção especial a tecnologias adaptadas ao clima), fortalecendo suas organizações e conectando-os aos mercados.

As operações financiadas pelo FIDA no Brasil buscam garantir que grupos marginalizados, como as comunidades indígenas e quilombolas, assentados da reforma agrária, mulheres e jovens, se beneficiem das atividades dos projetos.

“A nova estratégia no país reafirma nosso compromisso em colaborar com as autoridades brasileiras no combate à pobreza onde se faz mais necessário – as áreas rurais pobres do Nordeste do Brasil”, afirmou Nwanze.

Marcados com: , ,
Publicado em Agricultura

Twitter: efeagrobrasil