MILHO

Governo assegura que tomará medidas para evitar escassez de milho

De acordo com o Ministério da Agricultura, estoques de milho são suficientes para dois meses de consumo interno

O ministro interino da agricultura, André Nassar, assegurou aos produtores de proteína animal que não há motivo para preocupação com um possível desabastecimento de milho no país.

Em reunião realizada junto com Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) na tarde ontem, Nassar destacou que o estoque de passagem do produto no país, de cerca de 10 milhões toneladas, é suficiente para mais de dois meses de consumo.

Nassar também destacou a expectativa de que o Brasil tenha um plantio expressivo na segunda safra de milho por conta da alta nas cotações do grão, o que incentivaria os produtores a destinarem uma boa área para o plantio do segundo ciclo do grão.

Ontem, a consultoria Agroconsult destacou que o país sofre um risco “alto” de sofrer com o desabastecimento, sobretudo por conta da incerteza climática para a segunda safra.

“Esse ano, particularmente por conta de os mapas climáticos estarem apontado que não vamos ter a mesma chuva que tivemos de maio e junho, a gente pode ter uma redução de produtividade no milho safrinha”, avalia o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessôa.

Em nota, a ABPA afirmou que expôs ao Ministério da Agricultura o “cenário crítico enfrentado pela avicultura e a suinocultura do país, impactadas pelo crescimento nos custos e a escassez de milho em diversas praças, gerando altas especulativas no preço do cereal” e que “André Nassar firmou o compromisso de realizar ações incisivas contra a forte elevação e a escassez de milho nos polos de produção”.

“Em um momento crítico para nossa economia, com recessão já anunciada, aumentar custos de produção é penalizar não apenas quem produz, mas também a população consumidora.  É uma inflação provocada não por problemas climáticos, mas pela ação de atravessadores”, destaca em nota o presidente da ABPA, Francisco Turra.

A ABPA solicitou ainda ao  Ministério da Agricultura que sejam realizados leilões de milho em pólos de maior consumo, ” além da disponibilização de estímulos para a próxima safra do cereal, para garantir uma oferta homogênea nos Estados”.

“O mais importante é que o ministro-interino, respaldado pela Ministra Kátia Abreu, afirmou que o Governo não deixará a especulação assumir o mercado, valorizando o abastecimento interno e os embarques de proteína animal que, agora, conquistam novos mercados”, detalhou Turra em nota.

Marcados com: , ,
Publicado em Agricultura

Twitter: efeagrobrasil