G20

Macri irá propor o fortalecimento do comércio multilateral em cúpula do G20

A 11ª reunião do bloco será especial para o país de Macri pois, segundo o governo, a Argentina será anunciada como país a presidir o G20 em 2018

Foto: EFE/David Fernández

Segundo informações da Chanelaria argentina divulgadas na última quinta-feira (1), Mauricio Macri, presidente do país, colocará na cúpula do G20 da China, que começa no próximo domingo, aspectos como o fortalecimento do sistema de comércio multilateral e a importância do desenvolvimento como veículo para o crescimento sustentado e a erradicação da pobreza.

Os chefes de Estado e ministros de Finanças dos países do G20 se reunirão durante dois
dias na cidade chinesa de Hangzhou, em um momento de incerteza e fraqueza econômica mundial.

Na cúpula, o presidente da Argentina, que tomou o cargo em dezembro de 2015, discutirá uma série de questões de “interesse” para o país que incluem ressaltar o papel da agricultura para alcançar as metas de desenvolvimento, informou o governo.

Além disso, o líder proporá o fortalecimento do sistema de comércio multilateral, com a Organização Mundial do Comércio “em seu centro”, para assim promover avanços nas negociações dos temas pendentes da Rodada de Doha e afirmar a importância do desenvolvimento como veículo para conseguir um crescimento inclusivo, sustentado e equitativo que promova a erradicação da pobreza “em todas suas formas e dimensões”.

A décima primeira reunião de líderes do Grupo dos 20 terá “especial importância” para a Argentina já que, segundo recalca a Chancelaria, será realizado o anúncio oficial que o país exercerá a presidência do G20 em 2018.

“Este é um motivo de orgulho e representa uma grande responsabilidade, da mesma forma que é um dos desafios políticos e diplomáticos mais destacados da história recente do país”, ressalta a nota ministerial.

No entanto, o governo acrescenta que quando se formalizar a transferência da presidência depois da Cúpula, a Argentina passará a integrar a chamada “troika” junto com a China e Alemanha (2017), um “trio diretor” que inclui ao anterior, ao atual e ao próximo país que ocupa a presidência, que permite dar continuidade nos temas e os objetivos do grupo.

Os integrantes do G20 são Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Rússia, Reino Unido, África do Sul, Turquia e a União Europeia.

Marcados com: , ,
Publicado em Economia

Twitter: efeagrobrasil