CHINA

Peru aposta em ‘super alimentos’ para ampliar comércio com China

As exportações de frutas e hortaliças frescas do Peru à China crescem em um ritmo anual de 17% desde 2012, e só no ano passado alcançaram um faturamento de 62 milhões de dólares.

Foto: EFE/Paco Torrente/rsa

O Peru aposta na exportação de alimentos de primeira linha em sua conquista do mercado chinês ao apresentar nesta semana em Hong Kong a campanha “Super Foods Peru” na feira asiática “Fruit Logistic“.

Os mirtilos (blueberries), a quinoa, os cítricos ou os aspargos lideram a lista dos “super alimentos” com os quais o país andino pretende conquistar ao consumidor mais exigente na China e do resto da Ásia.

“A ‘Super Foods Peru‘ é direcionada a um crescente nicho de consumidores chineses interessados nos cuidados com a saúde e bem estar através da alimentação”, destacou ao EfeAgro Isabella Falco, diretora de Comunicações e Imagem da e PromPeru, órgão de promoção comercial e turística do país.

Esta marca peruana, que fez a sua estreia mundial em março na Alemanha, chegou hoje a Hong Kong como último destino global justo quando se cumpre uma década da participação do Peru na maior feira agro-alimentar da Ásia.

“A China é um mercado sempre ascendente para o setor agro-alimentar do Peru, as cifras são cada vez mais altas assim como a participação de empresários peruanos”, disse ao EfeAgro Luis Torres, diretor de Exportações da PromPeru.

Por volta de 180 profissionais do setor agro-alimentar peruano passaram pela Asian Fruit Logistic para ampliar o setor que fica somente atrás da indústria como motor econômico do país andino.

“Por causa dos acordos feitos nesta feira no ano passado conseguimos trazer à China 60 contêineres de produtos, mas neste ano já chegamos a 200”, ressaltou ao EfeAgro Sergio del Castillo, gerente da Associação de Produtores de Cítricos do Peru.

As exportações de frutas e hortaliças frescas do Peru à China crescem em um ritmo anual de 17% desde 2012, e só no ano passado alcançaram um faturamento de 62 milhões de dólares.

Twitter: efeagrobrasil