EFE

Petrobras melhora eficácia de fertilizante à base de ureia

A ureia, um fertilizante agrícola produzido a partir do gás natural, é usado pelos agricultores como fonte adicional de nitrogênio para os cultivos.

Refinaria da Petrobras na Bolívia. EFE/PETROBRAS

A Petrobras informou nesta terça-feira que desenvolveu um fertilizante à base de ureia que, graças a um aditivo que inibe a degradação do material, permite uma liberação mais gradual e prolongada do nitrogênio, elemento considerado vital para o crescimento das plantas.

A degradação mais lenta da ureia permite reduzir a perda de nitrogênio do atual 70% a cerca de 20%, segundo os testes feitos nos cultivos experimentais da Fábrica de Fertilizantes do Paraná, afirmou a Petrobras em comunicado.

“Na prática o aditivo controla a degradação da ureia e gera mais tempo para a incorporação do nitrogênio no solo por meio da chuva, da irrigação ou da ação mecânica”, segundo a nota.

A ureia, um fertilizante agrícola produzido a partir do gás natural, é usado pelos agricultores como fonte adicional de nitrogênio para os cultivos.

O composto também é usado como matéria-prima para a produção de amónio, outro fertilizante nitrogenado.

O produto desenvolvido pelos pesquisadores do Centro de Pesquisas (Cenpes) da Petrobras “poderá aumentar a produtividade de cultivos agrícolas que demandam fertilização no solo, como a cana-de-açúcar, o milho e as frutas cítricas”, segundo a Petrobras.

De acordo com a petrolífera, os testes industriais demonstraram que, além de minimizar as perdas de nitrogênio, o novo produto tem menos efeitos não desejados, como danos nas folhas.

Os pesquisadores se propõem agora a realizar maiores testes em cultivos experimentais para verificar a eficácia do produto, assim como avaliar o tempo útil do fertilizantes e dos possíveis efeitos da temperatura no produto durante seu período de armazenagem.

Marcados com: , ,
Publicado em Energia

Twitter: efeagrobrasil