FAO

Preços dos alimentos se mantêm estáveis em janeiro perante boas previsões

Segundo a FAO, o índice de preços de produtos básicos teve média de 169,5 pontos no mês passado, 3% a menos que em janeiro do ano passado

Foto: EFE/JULIAN ATENSCHULTE

Em meio à abundância de cereais e com perspectivas de que as atuais colheitas de trigo e milho atinjam números máximos, os preços mundiais dos alimentos ficaram estáveis no último mês de janeiro em relação a dezembro de 2017

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) indicou hoje (1º) em um comunicado que seu índice de preços de produtos básicos teve média de 169,5 pontos no mês passado, 3% a menos que em janeiro do ano passado.

Somente houve uma variação mensal porque o aumento nos cereais e do óleo de palma (dendê) compensou a menor cotação do açúcar, da manteiga e do queijo.

Segundo a FAO, os cereais encareceram em quase 2,5% no mês janeiro devido à inquietação sobre o clima e à debilidade do dólar.

Entretanto, os mercados mundiais dos principais cereais se mantiveram equilibrados, com as últimas previsões que assinalam que a atual colheita de 2017 e 2018 fechará em níveis recordes de inventários para o trigo e o milho após algumas colheitas melhores do que o previsto.

Os preços da carne mudaram apenas em um mês, assim como os azeites vegetais, já que, apesar do leve aumento no óleo de palma, diminuíram os preços dos óleos de girassol e de colza.

Entre as quedas, os laticínios baratearam em 2,4% ao mês devido aos preços mais baixos para a manteiga e o queijo, fruto de sua oferta abundante no hemisfério norte e na Austrália.

Os preços do açúcar caíram 1,6%, até situando-se mais de 30% abaixo do seu nível de um ano atrás, devido à ampla produção e possibilidade de exportação.

Marcados com: , ,
Publicado em Alimentação e bebidas

Twitter: efeagrobrasil