TRIGO

Produtores de trigo do Mercosul querem ‘convergência regulatória’

Uruguai, Paraguai, Canadá e Estados Unidos também estão entre os exportadores do grão e atualmente.

O Brasil é um dos maiores importadores mundiais de trigo tendo comprado pouco mais de 3 milhões de toneladas do grão de janeiro a junho deste ano, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo).

Dentre as negociações deste período, 80% dos cereais foram provenientes da Argentina, que está escoando uma safra estimada pelo governo em 18,4 milhões de toneladas.

Uruguai, Paraguai, Canadá e Estados Unidos também estão entre os exportadores do grão e atualmente, a Resolução GMC Mercosul 15/16, de 15 de junho de 2016, estabelece que o exportador deve cumprir os limites máximos de resíduos (LMR) adotados pelo país importador.

“Precisamos fortalecer o diálogo entre Brasil e os demais países de forma a estabelecer regras comuns para o trigo e farinha de trigo no que se refere à sanidade, uso de defensivos, enriquecimento e qualidade”, explica o embaixador Rubens Barbosa, presidente da Abitrigo.

O executivo marcou presença na reunião de cúpula das nações do Mercosul que analisou a possibilidade de promoção de um acordo comercial do bloco com a Aliança do Pacífico, que reúne o México, o Chile, a Colômbia e o Peru e destacou o pedido de ‘convergência regulatória’ para o setor.

 

 

 

Twitter: efeagrobrasil