PECUÁRIA

Produtores rurais argentinos denunciam “graves” perdas por inundações

Pelo menos 2,5 milhões de hectares estão afetados por falta de acesso e outros problemas que impedem ou dificultam os trabalhos e o crescimento normal do cultivo.

EFE/IBCE/SOLO USO EDITORIAL

A Confederação de Associações Rurais de Buenos Aires e La Pampa (Carbap) determinou após os resultados do seu último estudo sobre inundações, que as zonas analisadas se encontram em “graves problemas hídricos” pelas elevadas precipitações de 2017, informou nesta quinta-feira a confederação.

O estudo realizado afirmou que a região estudada, que compreende as províncias de Buenos Aires, La Pampa, Córdoba e Santa Fé, o agrupamento apontou um total de 5,5 milhões de hectares afetados pelas inundações dos últimos meses.

Pelo menos 2,5 milhões de hectares estão afetados por falta de acesso e outros problemas que impedem ou dificultam os trabalhos e o crescimento normal do cultivo.

Esta zona abrange uma grande parte do coração produtivo agrícola, criador de gado e leiteiro do país sul-americano.

Os dados referidos às perdas de gado apontaram a que 60% do rebanho de Buenos Aires está na zona afetada, o que implica 34% do total de cabeças de todo o país, algo que temem poder afetar tanto ao ciclo atual como aos próximos.

Os produtores estimaram que 12 das 18 milhões de cabeças da província de Buenos Aires se encontram na área inundada, e os pecuaristas da região se enquadram em um “potencial dano de impacto severo”.

“Se continuar esta situação os rebanhos serão afetados e registrará uma diminuição da produção potencial de vitelos no 2019”, indicou o relatório.

O texto destacou que, segundo dados do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-alimentar (Senasa), o gado nacional supera os 53 milhões de cabeças e “mais dos 25%” desse rebanho se encontra na zona afetada.

Twitter: efeagrobrasil