AGRICULTURA FAMILIAR

Reunião da CELAC sobre agricultura familiar pede produção sustentável

“Entendemos que o modelo atual de produção agrícola intensiva não poderá fazer frente aos desafios do novo milênio” afirmou o ministro costa-riquenho de Agricultura e Pecuária, Luis Felipe Arauz

Foto: EFE/Santi Carneri

A Comunidade de Estados Latinoamericanos e Caribenhos (CELAC), que realiza uma reunião técnica ministerial de agricultura familiar na Costa Rica, fez um chamado para o aumento da produção sustentável.

Durante o ato inaugural do encontro, o ministro costa-riquenho de Agricultura e Pecuária, Luis Felipe Arauz, afirmou que as estratégias nos países-membros da CELAC devem procurar a intensificação sustentável da agricultura familiar.

“Entendemos que o modelo atual de produção agrícola intensiva não poderá fazer frente aos desafios do novo milênio, sobretudo porque esse tipo de agricultura, apesar do aumento na produção e no consumo, gerou a diminuição de muitos agroecosistemas, pondo em perigo a produtividade futura”, expressou Arauz.

Para o ministro, a intensificação sustentável da agricultura familiar aumentaria a oferta de alimentos a partir do aumento de produtividade, além disso reduziria os efeitos negativos sobre o meio ambiente e aumentaria a contribuição para o capital natural e o fluxo de serviços ambientais.

Arauz também advogou pelo impulso de uma série de práticas que desenvolvam a “agricultura climaticamente inteligente”.

Como país anfitrião, Costa Rica propôs uma linha de trabalho na qual os países-membros da CELAC gerem leis, projetos e outras políticas públicas diferenciadas para a agricultura familiar, tais como acesso a financiamento, seguros, reconhecimentos de benefícios ambientais, acesso à educação, assim como o fomento ao valor agregado e aos mercados locais.

A CELAC, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Ministério da Agricultura e Pecuária da Costa Rica (MAG) informaram em comunicado conjunto que no encontro de dois dias os delegados e ministros abordarão temas como compras públicas, serviços rurais e fornecimento de alimentos.

As autoridades esperam que os representantes de cada país assinem uma declaração no final do encontro.

Twitter: efeagrobrasil