CANA-DE-AÇÚCAR

Safra de Cana no Centro-Sul bate recorde com 617,65 mi de ton

Por outro lado, volume de etanol comercializado pelas regiões produtoras do Centro-Sul em março ficou 13,42% abaixo do verificado no mesmo mês do ano passado

Foto: EFE / Marcelo Sayão

A produção de cana de açúcar na região Centro-Sul do país, principal produtora da variedade, apresentou crescimento de quase 8% e atingiu 617,65 milhões de toneladas segundo estimativa de safra divulgada nesta terça-feira (12) pela União da Indústrioa de Cana de Açúcar (Unica).

“A condição climática favorável ao desenvolvimento da planta ampliou a disponibilidade de matéria prima, permitindo um crescimento expressivo da moagem na safra 2015/2016 e, ainda, uma sobra de cana-de-açúcar no campo”, destacou, em nota, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

De acordo com a entidade, todo o aumento no processamento foi destinado à produção de etanol, que ficou 2 bilhões de litros acima da safra passada, com 28,22 bilhões de litros, enquanto a produção de açúcar teve queda de 2,48% com 31,22 milhões de toneladas.

Etanol em queda

Ainda segundo o levantamento da Unica, o volume de etanol comercializado pelas regiões produtoras do Centro-Sul em março deste ano ficou 13,42% abaixo do verificado no mesmo mês do ano passado, quando foram vendidos 2,57 bilhões de litros do combustível.

O recuo, lembra a Unica, deve-se sobretudo a uma queda de 20% nas vendas de etanol hidratado de 20% no país. Já a de etanol anidro, adicionado à gasolina, teve alta de 16,21%.

Com isso, o preço do etanol já começa a cair nos principais mercados. Segundo alerta do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (Cepea), o combustível apresentou “desvalorização expressiva” na última semana no mercado paulista, por exemplo.

Os pesquisadores do Cepea avaliam que “o avanço na produção somado ao interesse das usinas em liquidar o combustível da safra passada influenciaram diretamente nesse cenário”.

Entre 4 e 8 de abril, no estado de São Paulo, o Indicador CEPEA/ESALQ semanal do hidratado foi de R$ 1,4329/l (sem impostos, a retirar), queda de 13,4% frente à semana anterior, quando o combustível já havia se desvalorizado 10%. O Indicador do anidro chegou a cair 17,95%, indo para R$ 1,6465/l (sem impostos, a retirar).

Na visão do  diretor técnico da Unica, o movimento de baixa nas vendas de etanol deve ser revertido ao longo do ano conforme os preços reduzam. Ele explica que “isso só não aconteceu até agora porque não houve repasse da queda dos preços ao produtor para a bomba”.

“Enquanto os preços nas usinas paulistas caiu mais de R$0,50 por litro nas últimas quatro semanas, o valor pago pelos consumidores nos postos não sofreu nenhuma alteração”, destacou Padua em nota.

Segundo estimativa da Unica, no acumulado dos últimos 12 meses (1 de abril de 2015 a 31 de março de 2016), o volume comercializado pelas usinas do Centro-Sul foi  16,26% maior que nos 12 meses da safra anterior (2014/2015), totalizando 29,27 bilhões de litros.

Marcados com: , ,
Publicado em Agricultura

Twitter: efeagrobrasil