Delação da JBS envolvendo Temer pode afetar economia agrícola, dizem especialistas

Produtores e empresários agrícolas mostraram  hoje forte preocupação com o setor para os próximos dias, depois da delação do dono da JBS, Joesley Batista, que teria gravado o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo […]

EFE

EFE

Produtores e empresários agrícolas mostraram  hoje forte preocupação com o setor para os próximos dias, depois da delação do dono da JBS, Joesley Batista, que teria gravado o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A repercussão da notícia divulgada pelo jornal O Globo gerou a queda de 10% da Bolsa de Valores de São Paulo, Ibovespa, nesta manhã.

A Bolsa chegou a interromper as negociações por meia hora na manhã desta quinta-feira (18) e assustou os agricultores que passaram pela AgroBrasília, feira internacional do Cerrado para fechamento de negócios do setor, na capital nacional.

“Depois do escândalo, a JBS enfraquece, enfraquece consumo de boi e isso vai refletir no setor de maneira muito drástica. Há pouco tempo a gente tinha milho com sacas no valor de R$ 40 reais e agora não chega a R$ 20. E a gente vem de um ano passado onde os custos foram altíssimos. Hoje, a rentabilidade da lavoura não é esse cenário maravilhoso que está se mostrando; a coisa é feia. E o que nos importa é rentabilidade”, explicou ao EFEAgro o produtor agrícola da região de Formosa, Minas Gerais, Alan Baron.

De acordo com o produtor, que acompanha as oscilações de mercado para prever rentabilidade de sua produção, a instabilidade do dólar causa preocupação no setor por gerar uma turbulência de gastos com insumos agrícolas, que devem aumentar os preços por serem cotados em dólar, além de um impacto na redução das vendas.

Feira AgroBrasília/Divulgação

Feira AgroBrasília/Divulgação

“A gente vem de um cenário de colheita recorde de safra este ano, mas com rentabilidade menor que nos anos anteriores, tendo em vista que compramos insumos com dólar em alta e vendendo produtos com valor baixo”, destacou o produtor que esteve na feira agrícola e reclamou da falta de segurança de produção que os agricultores passam no último ano por causa da crise política e econômica.

Delação

A transcrição da gravação da delação de Batista foi publicada no jornal O Globo na última quarta-feira (17), mas ainda a gravação não veio à tona, o que tem feito a defesa do presidente Michel Temer ganhe tempo e feito com que a oposição siga forte com os pedidos de impeachment do peemedebista.

A JBS é a segunda empresa no mercado de alimentos no mundo, foi uma das empresas que mais doou para campanhas eleitorais no Brasil e é a personagem principal da Operação Carne Fraca, que deflagrou em março um esquema de corrupção no setor de carnes no país.

Empresas presentes na feira como a Bayer disseram que a crise política não prejudicará a apresentação de ferramentas para que os produtores consigam passar pelo momento de instabilidade.

“Independente do cenário político e econômico atual, o objetivo é apresentar ferramentas para mitigar essa situação, apoiar o produtor e enfrentar os momentos de instabilidade para as próximas safras e as seguintes”, avaliou ao EFEAgro o gerente de negócios da Bayer Cerrado, Marcelo Junqueira.

Marcados com: , ,
Publicado em Agricultura

Twitter: efeagrobrasil