NICARÁGUA

Cafezais da Nicarágua trocam lenha por biogás gerado a partir de dejetos do gado

No início deste mês, o inovador sistema foi instalado na zona central da Nicarágua, para possibilitar a ordenha de vacas e a melhora na produção

EFE/Marcelino Rosario

Um novo sistema na Nicarágua transforma dejetos do gado em gás natural e em fertilizante líquido utilizado nas plantações de café, segundo informou na última sexta-feira (23) o Programa Biogás Nicarágua (PBN).

O sistema, implementado no país para substituir a lenha, iluminar moradias e gerar energia para a ordenha de vacas, agora também é implementado para fertilizar cultivos de café e de de abacaxi.

Este é o mesmo sistema que está implementado com sucesso em 35 hectares de propriedades em Nova Guiné, no sudeste da Nicarágua, e que permitirá que agricultores economizem mais de 32 mil dólares anuais em adubos, praguicidas, eletricidade, combustível e mão de obra, detalhou o PBN em um comunicado.

Com uma dimensão de 350 metros cúbicos, o sistema de biogás utilizado para a agricultura transforma os dejetos de vaca em gás e em um fertilizantes líquido natural chamado biol.

Isso permite produzir energia elétrica para o bombeio e armazenamento de água, para a moradia, para o consumo animal e para irrigar os cultivos agrícolas.

Um único biodigestor é capaz de gerar cerca de 40 metros cúbicos de biogás e 6.000 litros de biol diariamente e tem capacidade para funcionar sem problemas durante 20 anos, de acordo com os responsáveis pela tecnologia.

O investimento total para a instalação do sistema tem um custo de 63.794 dólares, dinheiro que pode ser adquirido através de empréstimos bancários de “linha verde”, e que pode ser recuperado em 3 anos devidos às economias e os benefícios proporcionados por sua implementação, indicou o PBN.

No início deste mês, o inovador sistema foi instalado na zona central da Nicarágua, para possibilitar a ordenha de vacas e a melhora na produção com base em energia renovável.

Mais de mil famílias camponesas da Nicarágua deixaram de consumir lenha como fonte de energia para utilizar o biogás.

O PBN, executado pelo Serviço Holandês de Cooperação ao Desenvolvimento (SNV) e o Instituto Humanista de Cooperação para o Desenvolvimento (Hivos), conta com um fundo de 6,2 milhões de dólares, custeados pelo Fundo Multilateral de Investimento (Fomin), o Fundo Nórdico de Desenvolvimento (NDF) e contribuições locais.

Marcados com: , ,
Publicado em Energia

Twitter: efeagrobrasil