MILHO

Com baixa disponibilidade, milho beira R$50 a saca

Bom ritmo das exportações nos últimos meses também pressiona a oferta de milho no mercado interno

EFE/Wu Hong

Com baixa disponibilidade no mercado interno, o milho já é cotado próximo dos R$50,00 a saca de 60 kg segundo o indicador ESALQ/BM&FBovespa (base Campinas-SP). Na média de março, a cotação foi de R$ 47,78/sc – a maior desde fevereiro de 2008.

Na última terça-feira (05), o grão chegou a ser cotado a R$ 49,34/saca de 60 kg, uma alta acumulada em março de quase 14% e de expressivos 34% no ano de 2016 segundo informa alerta de mercado do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq/USP) divulgado nesta quarta-feira (06).

“A colheita do milho verão segue bem, mas a disponibilidade imediata ainda é considerada pequena e isso tem levado compradores a acirrar a disputa pelo cereal”, afirma o Centro em nota.

Segundo a última estimativa de safra da Conab, a produção brasileira de milho deve ser 1,4% menor em comparação com a safra 2014/2015, sendo a única a ter redução de safra.

O Cepea lembra ainda que o bom ritmo das exportações nos últimos meses também pressiona a oferta no mercado interno e cita dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) que apontam para 7,39 milhões de toneladas exportadas desde fevereiro.

“Como o estoque final da temporada (no encerramento de jan/16) era de 10,54 milhões de toneladas, conforme estimativa da Conab, restariam apenas 3,14 milhões de toneladas, equivalentes ao consumo interno (linear) de pouco mais de uma quinzena.”, ressalta o Cepea.

Diante de um cenário de baixa oferta e elevado consumo (58,39 milhões de toneladas segundo estimativa da Conab) no mercado interno, o Cepea observa que houve um aumento nas negociações antecipadas o que é “algo não usual para este período do ano”. Tal situação tem feito com que alguns produtores de proteína animal apelem para a importação de países como Paraguai e Argentina.

“A preocupação em garantir o volume de milho necessário para os próximos meses tem levado esses agentes a apresentar comportamento bastante agressivo no mercado, competindo diretamente com traders, segundo levantamentos do Cepea”, destaca o alerta de mercado divulgado nesta quarta.

Marcados com: ,
Publicado em Agricultura

Twitter: efeagrobrasil