CARNE

Paraguai pede ao Brasil dados para investigar importação ilegal de carne

O Paraguai anunciou punições contra três novos frigoríficos por importar carne sem autorização do governo.

EFE/ Arquivo

As autoridades alfandegárias do Paraguai e do Brasil cruzarão dados para investigar o caso da importação irregular de toneladas de carne de produtores brasileiros para o outro lado da fronteira entre os dois países.

O anúncio foi feito pelo ministro de Indústria e Comércio do Paraguai, Gustavo Leite, em entrevista coletiva.

A Direção Nacional de Alfândegas pedirá informações aos órgãos brasileiros para analisar as exportações de carne do Brasil para o Paraguai neste ano e assim verificar possíveis irregularidades.

O ministro anunciou punições contra três novos frigoríficos por importar carne sem autorização do governo do Paraguai.

Essas três empresas foram incluídas na investigação sobre o Frigorífico Concepción, revelado após a descoberta de que a empresa importou 180 toneladas de carne do Brasil. A mercadoria passou pela cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira entre os dois países.

Posteriormente, as autoridades descobriram a importação de 11 toneladas de carne brasileira irregularmente.

Leite afirmou que duas das quatro companhias já apresentaram documentos nos quais reconhecem a falta de licença para importar e por isso poderão ser multadas em 20% do valor da carga importada.

O governo do Paraguai suspendeu as atividades do Frigorífico Concepción logo depois do escândalo, mas devolveu a licença da empresa para operar pouco depois. No entanto, a companhia está proibida temporariamente de exportar carnes para Rússia, Chile, Israel e União Europeia.

Rússia e Taiwan, porém, já decidiram cancelar as importações do Frigorífico Concepcíon após a revelação das irregularidades.

O escândalo da carne paraguaia provocou na semana passada a demissão do ministro da Agricultura, Marcos Medina, e do responsável pela Direção Nacional de Alfândegas, Nelson Valientes.

Twitter: efeagrobrasil